Do inicio ao fim

blog do redu

Temos colaborado com a evolução do Redu; produto de uma start up na área de Educação. Ela está incubada no Porto Digital há um ano e a fase de incubação acaba no meio do ano.

Me permita atualizar você. O grupo venceu uma longa fase de testes com usuários e iniciamos uma fase voltada à construção da marca, construção de parcerias e início de comercialização no mercado nacional.

Alguns números sobre a evolução do Redu. Alguns dados:

  1. Número atual de colaboradores atuais: 16
  2. Número de dissertações de mestrado concluídas: 3
  3. Número de trabalhos de conclusão de curso concluídos: 6
  4. Número de pesquisas de mestrado em andamento: 10
  5. Número de pesquisas de doutorado em andamento: 7
  6. Número de usuários cadastrados: 2700
  7. Cooperação com o grupo de pesquisa “Ciências Cognitivas e Tecnologia Educacional” do Centro de informática da UFPE (*)

Um vídeo mostra depoimentos de um estudo piloto realizado em uma escola público, no ensino médio: http://www.youtube.com/watch?v=2kq3kEOPyec

Seguem alguns textos e apresentações sobre o Redu:

  • Palestra no Dia Internacional da Usabilidade: http://goo.gl/adKlf
  • Texto explicando o Redu para Educadores: http://goo.gl/2hDO8
  • Artigo publicado no XXII SBIE: http://goo.gl/ibcMZ
  • Capítulo do livro Hipertexto e Cibercultura com o Pierre Levy: http://goo.gl/QdCCl
  • Resultado de pesquisa sobre a prática docente com o Redu: http://goo.gl/mC41L
  • Resultado de pesquisa sobre atuação de alunos no Redu: http://goo.gl/1aUep
  • Entrevista na Rede Globo de TV: http://goo.gl/gQobD

Vocês podem imprimir esses materiais de divulgação.

O Redu já está pronto para uso no endereço https://www.redu.com.br.

Solicitamos a ajuda de todos no sentido de divulgar a plataforma em tua rede de contatos e estamos abertos para construir parcerias comerciais para contratos com prefeituras, colégios e faculdade; contato [at] redu . com . br.

(*) O Centro de informática da UFPE recebeu o prêmio de instituição mais inovadora do ano de 2011 do FINEP. Mas esta é outra história.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here